A Razer revelou na CES 2017 que o Razer Chroma, sua nova  tecnologia de iluminação, será a base do Project Ariana, um conceito para o primeiro sistema de projeção de vídeo desenvolvido para oferecer total imersão nos games e que se parece com um projeto da Microsoft chamado IllumiRoom que a Microsoft acabou desistindo pois seria muito caro.

Com o Projeto Ariana, a ideia está de volta, e mais viável. O conceito de iluminação RGB em uma sala de projeção traz uma “nova dimensão aos jogos imersivos através do Razer Chroma, que se comunica com jogos em tempo real para criar efeitos de iluminação e vídeo”. A partir desse conceito, os jogadores têm uma série de soluções à sua disposição, desde periféricos com retro iluminação até iluminação e projeções inteligentes, todos sincronizados para proporcionar uma experiência de jogo única e envolvente.

 

Trata-se de um projetor de vídeo de alta definição que usa uma lente de olho de peixe ultra-larga. Ele adapta a projeção dos elementos do jogo às dimensões e características do ambiente físico. Para isso, ele usa um par de sensores de profundidade 3D juntamente com o software de calibração, que automaticamente detecta elementos do local, como móveis e iluminação, para fornecer a exibição perfeita em qualquer sala.

“O Project Ariana é um conceito desenvolvido para mostrar o poder e o potencial da tecnologia Razer Chroma no mundo pré-realidade virtual, criando um elo único entre os jogadores e os games”, disse Min-Lian Tan, CEO e cofundador da Razer. “A projeção de vídeo, iluminação multicolorida e a inteligência responsiva do Razer Chroma estão mudando o jeito de jogar. Nós e nossos parceiros estamos trabalhamos para oferecer ainda mais soluções visuais que permitam experiências futuras incríveis e ricas visualmente”.

Para aqueles que ficaram decepcionados com o fim do projeto Illumiroom, essa é uma ótima notícia. A tecnologia resultará em jogos totalmente imersivos, que literalmente vão te colocar dentro do jogo.