“Harran esta toda  devastada, Todos os sobreviventes são obrigados sentir a mesma pressão da   carne de zumbis batendo contra suas bochechas. Ninguém está confortável na cidade, apertados e confinados e limitados as pilhas de corpos  e caixas para navegar as ruas de cadáveres espalhados, por isso, sem dúvida, todos os sobreviventes têm alguma participação em obter a tranquilidade do doce campo intocado”. Agora, em uma missão realizada por um grupo dos sobreviventes, um recém-chegado morto trouxe com ele um mapa que parece indicar o impensável: há uma maneira de sair da cidade, e isso leva a um povo que já encontraram o segredo para evitar a infecção zumbi.

Na Luz Agonizante: a seguir, você rasteja para fora das paredes apertadas de Harran e tenta encontrar as  respostas no campo aberto em torno da cidade.

É uma experiência de jogo bem interessante, e muito grande também. Segue-se uma longa expansão na história principal, e tem lugares no  mapa consideravelmente maior que representa o lado rural de Harran. As novas expansões de capacidades do jogador, bem como a mecânica do jogo em si provocam  um sentimento mais profundo de imersão, e fornece mais  espaço e  missões  extras. mais uma das mais aguardadas   mudança dessa atualização é a capacidade de conduzir um   buggy em torno do mapa. Encontrado no início da expansão, este veículo é rápido e ágil, mas leva dano rapidamente se deixa-lo exposto  a ataques de todos os lados. O carrinho pode ser usado para determinadas missões de dar a volta rapidamente e também é  fundamental para algumas missões , mas é principalmente opcional como um monte de outras características neste jogo tendem a ser.

Á Historia é coerente como era de se  esperar, mas certamente não é falha ou sem sentido de forma alguma. Você está tentando reunir informações  sobre as habilidades desses sobreviventes que não podem ser infectados, e para isso você precisa  completar tarefas para as pessoas desse vilarejo para ganhar sua confiança. Ao invés de jogar fora ao longo de várias missões principais, a seguinte verdade tem um foco exclusivo sobre as missões secundárias, tendo-lhe concluir os como um requisito para a história principal para continuar, em vez de como um complemento a ela.

Às vezes há problemas com a forma como o jogo trata a morte, o  progresso e missões de maior importância. No início da expansão, você está encarregado de usar o seu buggy de para tapar  um vazamento o mais rápido que puder e abrir uma válvula antes que a pressão exploda todos os canos na área. Se você falhar, você começa de novo com o temporizador de contagem regressiva que é incapaz de mudar para outra missão.

O legal é que tudo que você fez em Dying Light é levado para The Following, e vice-versa, caso você não tenha terminado a campanha e mesmo assim queira começar a expansão. Com os gráficos melhorados da edição Enhanced e todos os conteúdos novos, The Following é uma verdadeira expansão e faz jus a qualidade de Dying Light.

A principal crítica à expansão The Following fica por conta da narrativa pobre, de personagens (e dublagem) desinteressantes e sidequests sem criatividade. As prometidas novas expressões faciais dos personagens não resultaram em algo muito positivo – ainda são medíocres. Problemas estes que são comuns à campanha original de Dying Light. Dificilmente a jornada dessa expansão se tornará a motivação para continuar jogando, no entanto essa é uma imperfeição irrelevante diante de um gameplay primoroso e de um conteúdo tão rico.